segunda-feira, 25 de março de 2013

DIA MUNDIAL DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE AUTISMO

O dia 02 de abril é dedicado ao autismo. Recentemente foi sancionada uma lei que trata dos direitos dos autistas, um importante passo. Mas não é o bastante: é preciso que as pessoas entendam como são os autistas e quais as suas necessidades. Autistas pertencem à sociedade e é responsabilidade de todos zelar pelo seu bem-estar. É essencial que os pais e familiares de autistas os aceitem como são (e não fiquem pensando em como gostariam que eles fossem). O autista precisa ser respeitado. Respeitar o autista não é apenas deixar de ter preconceito contra ele, mas sim, aceitá-lo como é (diversidade neurológica) e proporcionar-lhe todos os meios possíveis para que possa desenvolver todo o seu potencial e viver da forma mais confortável possível.  Não vejo o autismo como uma doença, que deva ser evitada ou curada, mas sim, como um jeito diferente de ser (diferente: não necessariamente para pior). 
Eu não poderia deixar de homenagear meu filho autista, no meu primeiro romance, Berço Africano: dediquei um capítulo a ele. Criei um personagem autista e trouxe um pouco do seu mundo ao leitor.
Aproveito para mais uma vez agradecer a todos os que me ajudaram  e ajudam a cuidar do meu filho Cássio: médicos, dentistas, psicólogos, pedagogos, fisioterapeutas, musicoterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, professores, enfermeiros, monitores, e tantos outros... Agradeço, ainda, a todo o pessoal que nos atende tão bem em lojas, restaurantes, lanchonetes, hotéis, etc., demonstrando paciência, boa vontade e carinho pelo meu filho.
Presto minhas sinceras homenagens a todos os autistas e também aos pais, familiares,  profissionais e cuidadores que se dedicam a esses seres tão especiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário